Buscar
  • Priscila Amorim

Ginecologia Natural e Autônoma

A Ginecologia e obstetrícia como ciência médica é um campo relativamente moderno, com menos de 100 anos de evolução, porém, sempre existiram corpos femininos e desde que o mundo é mundo, esses corpos gestam, parem e amamentam. O processo de retirada do parto do ambiente domiciliar para o hospitalar melhorou os índices de desfechos materno fetais positivos, porém às custas de muita experimentação e intervencionismo nos corpos femininos e, principalmente, negros e marginalizados. Como todas as revoluções, também partiu das mulheres oprimidas o movimento de procura por assistência obstétrica humanizada e de qualidade que hoje reconhecemos como Parto Humanizado, e não tardou para que essa consciência atingisse a ginecologia como um todo.


É nesse contexto que surge o movimento de resgate de saberes ancestrais e autonomia sobre o próprio corpo, conhecido como Ginecologia Natural, campo que não é de dominância médica, muito pelo contrário, mas tangencia diversos saberes e maneiras de tratar o processo de adoecimento do indivíduo.



Utilizando-se de conceitos do que hoje conhecemos como Medicina centrada na pessoa, a ginecologia natural vai além de "tratar com plantinhas" , na verdade, nem pressupõe-se que seja um tratamento com base única e exclusiva na fitoterapia, porque o foco não é a doença, mas o adoecer. Compreender que um corpo doente é um corpo em desequilíbrio e que extirpar a moléstia não é, necessariamente equilibrar é o primeiro passo para entender o caminho proposto.


Em geral abordo os processos sobre 3 óticas: o corpo físico (sintomas, historia familiar, alimentação, hábitos de vida) , o corpo psicológico ( traumas, comportamentos, memórias) e o corpo energético ( crenças limitantes, conexão com o mundo, capacidade de abstração). E, a partir da visão do indivíduo, olharemos para o problema e encontraremos caminhos possíveis para que ele seja solucionado. Eventualmente esse caminho pode envolver medicação fitoterápica, ou alopática, mas isso não é uma regra, nem uma questão e tampouco o foco.


Nosso encontro no consultório é um compromisso de uma caminhada, não existe pílula mágica, nem planta mágica. Existe um caminho único e peculiar, que vai culminar em um momento de cura, mas esse não é o objetivo final. O objetivo final é devolver o seu equilíbrio para você, é te entregar a chave e o domínio da sua própria liberdade, porque o corpo feminino não deve ser fonte de dor e aprisionamento. A Ginecologia Natural que eu te proponho é um grito de chega.

36 visualizações0 comentário